WebBanner_IPTUsite2

quarta-feira, 29 de agosto de 2018

Exposição de arte SOL DA INFÂNCIA: do papel à tela



“Toda criança nasce e desenvolve o serartista a partir dos estímulos e incentivos recebidos” Joel DuMara. O que dizer da observação de um artista que percebe poesia nas garatujas, e faz leitura de mundo, traduz em sensibilidade, espertice e relaciona-se com a realidade que o cerca, e no olhar de uma criança percebe mundos. O artista Joel DuMara traz mais uma exposição de sucesso, dessa vez SOL DA INFÂNCIA: do papel à tela. O coquetel de abertura acontece dia, (03.09), ás 19h30 no Shopping da Ilha – Piso L4 e fica aberta ao público durante o mês de setembro.

O artista absorve e alimenta-se da arte, e a transforma em nova arte, em um ciclo poético de desenhos iniciais que partem da IMAGINAÇÃO das crianças, percorrem para o papel e mergulham na alma multicor do artista, sendo transformadas em obra de arte.

De posse de papel e lápis, a criança retrata o que sente, o que vive, reconstrói o mundo, se reinventa e faz a leitura da sua realidade através de desenhos e o desenho, por sua vez, necessita do equilíbrio entre mão, gesto e instrumento, de maneira que, ao desenhar, o pensamento se constrói.

De início, a criança desenha pelo prazer de riscar. Com o tempo, a criança busca registrar as situações do mundo. Uma das principais funções do desenho no desenvolvimento infantil é a possibilidade que oferece de representação da realidade, e devido a isto, o desenho é visto como estratégia também de observação emocional, no sentido de trazer à tona as emoções sentidas.

Procurando evidenciar a infância, captando a inocência através dos desenhos, tempo que não volta mais, mas que pode ser eternizado feito sol da infância.

A EXPOSIÇÃO SOL DA INFÂNCIA

Retrata o olhar peculiar dos desenhos, onde o artista plástico JOEL DUMARA mantém, com fidelização, os traços, as formas e expressões impressas no papel e nas telas, a identidade dos desenhos individuais de cada criança. Para o artista, sentir a sensibilidade dos traços de cada criança foi o maior desafio para manter a marca pessoal e transmitir a delicadeza que o desenho proporcionava.

O projeto foi dividido em três etapas:

1 – SOL DA INFÂNCIA: Da imaginação para o papel – Esta é a etapa inicial, onde as crianças soltam a imaginação e a colocam no papel. Com o apoio dos professores e suas intervenções pedagógicas a criança é estimulada para o desenho, promovendo uma relação com ela mesma, com o outro e com as suas observações e leituras de mundo.

2 – SOL DA INFÂNCIA: Do Papel para a tela – Esta etapa consiste na exposição de obras sob o olhar do artista plástico Joel DuMara que, a partir dos desenhos iniciais, faz sua releitura retratando os desenhos realizados pelas crianças em forma de obras de arte.

3 – SOL DA INFÂNCIA: Da tela para livro – Nesta etapa as telas produzidas se transformam em ilustrações que irão compor histórias do livro. O lançamento deste livro fortalecerá ainda mais as obras já produzidas pelas crianças. O livro será utilizado como paradidático. As histórias estão sendo desenvolvidas pela escritora de literatura infantil maranhense Sharlene Serra.

Como tudo surgiu a ideia deste projeto

O projeto SOL DA INFÂNCIA nasceu inicialmente do olhar, não do artista JOEL DUMARA, mas do pai da Joana. Naquele momento de observação para com sua filha Joana, Joel Dumara percebeu a forma como a sua relação com o desenho, e como ela retrata a sua leitura de mundo. Percebeu a poesia existente no emaranhado de traços infantis. Joel pôde definir o olhar preciso da criança e que a imaginação salta as folhas de papel. A partir disto, o olhar do artista plástico veio à tona, gerando em si um vínculo entre o olhar da criança e o olhar do artista. A partir do momento que o artista encontra a possibilidade de recriar a arte mediante uma proposta de se absorver do imaginário infantil, ele buscou o Centro Educacional Sagres para ser a genitora deste projeto, da qual será o ponto de partida de todo o processo.
Os alunos da Escola Sagres

Neste projeto participaram crianças de 4 a 7 anos do Centro Educacional Sagres (Do infantil até o 1º ano do ensino fundamental menor). A escolha se deu mediante a fase inicial das ilustrações, o processo de construção e abstração, as garatujas, os emaranhado de traços que sobrevoam no imaginário infantil. O desenho retrata a expressão natural e espontânea da criança.

Para Montessori existem três condições para que uma criança se expresse pelo desenho: um olhar que veja, uma mão que obedeça e uma alma que sinta. A partir disso, pensamos que o desenho é produzido através do sentir, do pensar e do agir. O olho segue a mão que por sua vez retrata o que o coração sente.

Para a escola, o ato de criar envolve tanto criatividade como a necessidade do pensar, possibilitando o desenvolvimento de inteligência não apenas artística, mas também quanto a coordenação motora, autoestima, olhar crítico e a própria emoção do aluno, captada a partir da construção do desenho.

Os alunos do Sagres se envolveram na atividade orquestrada pela professora em sala, onde os desenhos elaborados foram repassados para a execução das telas.

Artista Plástico Joel DUMARA?

Joel DuMara nasceu em Santa Inês, Maranhão, é autodidata e desenvolve seus talentos artísticos desde a infância, talentos que vão do desenhos à pintura. Formou-se em Ciências Econômicas pela UFRRJ e segue carreira atuante em atividades bancárias como funcionário do Banco do Brasil desde 2004. Mas a arte sempre pulsava em si. Através da divulgação e contato com outros artistas e na Exposição de Arte “ O Maranhão Que Grita” vem tornar-se realidade e coroar o trabalho desse promissor artista maranhense. Participou da Publicação do livro ARTE BRASILEIRA NA CONTEMPORANEIDADE (bilíngüe), da curadora de Arte de São Paulo Carmem Pousada; ilustrou a capa do livro REMEMORANDA A HISTÓRIA DO ENSINO DA ARTE NO BRASIL, de Ângelo Roberto, e recebeu o título, juntamente com outros artistas, de Dr. Honoris Causa em Artes pelo CENTRO SAMATHIANO DE ALTOS ESTUDOS FILOSÓFICOS E HISTÓRICOS na Exposição ARTE E LITERATURA, em São Paulo. Seu conceituado trabalho foi selecionado para 3 salões de arte no Brasil (Salão de Arte da marinha do Brasil, VI Salão de Arte  Visuais de São Luís, de 2016, e o VII Salão Internacional de artes visuais de São Paulo, em 2018)

Ainda este ano, o artista fará participação na exposição com artistas internacionais em Portugal, na galeria de arte CNAP- Clube Nacional de Artista plástico.



Nenhum comentário:

Postar um comentário