WebBanner_IPTUsite2

quarta-feira, 14 de novembro de 2018

Advogado que votou contra inelegibilidade de Thiago Diaz tem vínculo com gestão da OAB


O advogado Emerson dos Santos Moreira, que integra a Comissão Eleitoral da Ordem dos Advogados do Brasil do Maranhão (OAB/MA) e votou de forma monocrática, contra a inelegibilidade do atual presidente Thiago Diaz, candidato à reeleição pela Chapa 4 – “Vamos fazer muito mais” no pleito do próximo dia 23/11, é muito mais do que um simples amigo do atual mandatário da entidade.
Na verdade, o causídico que é relator do colegiado eleitoral tem [ou teve] mais de um vínculo com a atual gestão da seccional e seu voto ‘envergonhado’ compromete o certame colocando, inclusive, em suspeição a Comissão Eleitoral da seccional.
O blog realizou uma investigação no próprio site da instituição e descobriu que o primeiro vínculo Emerson dos Santos com a gestão de Thiago foi em maio de 2016. Nessa época, ele foi nomeado como vice-presidente da Comissão de Política Criminal e Penitenciária, conforme release disponível na página eletrônica da OAB.

Mas as ligações do ‘julgador’ com a atual diretoria não pararam por aí. Em agosto deste ano, três meses antes da realização do pleito, Thiago Diaz instalou o Conselho Estadual dos Jovens Advogados (CEJA) da OAB/MA. Na solenidade de instalação do Conselho, Diaz deu posse à diretoria nomeando como presidente do órgão, o advogado Dihones Nascimento Muniz, tendo a advogada Camilla Cadilhe como vice-presidente. A diretoria do CEJA é composta ainda pela advogada Leda Raquel de Sousa Araújo, como secretária, e o advogado Emerson dos Santos, como secretário-adjunto. 
Os vínculos de Emerson com Thiago são incompatíveis para ele integrar a Comissão Eleitoral, pois a relação profissional de hierarquia superior entre os dois, viola o artigo 3º do provimento 146/2011 do Conselho Federal da OAB.

Curioso é que mesmo estando nomeado na Comissão Eleitoral e ignorando o disposto que rege o pleito na entidade, Emerson não se intimidou ao comparecer em ato de campanha a favor do seu amigo-chefe. A relação e o vínculo entre eles escancarou uma gravíssima suspeita, pois retira sua isenção e imparcialidade em coordenar as eleições do próximo dia 23.
Emerson se encaixa no ditado que diz que “a capacidade da cara de pau de algumas pessoas não nos dá tristeza, mas sim nojo”. Resta saber o que os integrantes das demais chapas vão achar desta situação. O vexame foi tão grande, mas tão grande, que o ‘relator-torcedor’ votou de cabeça baixa, evidenciando sua vergonha e incapacidade para atuar no caso.

Nenhum comentário:

Postar um comentário