WebBanner_IPTUsite2

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

'Quem vota não advoga e quem advoga não vota', diz Mozart Baldez após resultado da eleição na OAB



O advogado criminalista Mozart Baldez, que disputou a eleição da OAB-MA nesta sexta-feira (23/11), pela Chapa 1 – 'Reconstruir é a Ordem', definiu o resultado do pleito na entidade em uma única frase: "a advocacia maranhense vive realidade adversa, pois quem vota não advoga e quem advoga não vota", disse em entrevista ao blog.
Ao defender seu posicionamento, Baldez explicou que os mais de 9 mil causídicos que militam nos corredores dos fóruns da capital e do interior do estado não votaram em razão da inadimplência, por outro lado, segundo ele, os eleitores que compareceram para votar não advogam, consequentemente, não sobrevivem da advocacia, portanto, não conhecem a nossa dura realidade.
Ao todo, 10.657 advogados estavam aptos a votar nessas eleições, desses 7.133 eleitores somente em São Luís. A votação que teve início às 9 da manhã foi encerrada às 17h.

RESULTADO PARCIAL

Disputaram a eleição quatro chapas. A Chapa 1 “Reconstruir é a Ordem” teve como candidato Mozart Baldez; a Chapa 2 – “OAB de Verdade” encabeçada por Carlos Brissac; Chapa 3 – “Força da Inclusão” teve a candidata a presidente Sâmara Braúna e a Chapa 4 “Vamos fazer muito mais” do presidente Thiago Diaz.

A parcial dos resultados apontou que Thiago Diaz obteve 47,86% da votação equivalente a 3.800 votos; Carlos Brissac conquistou 36,91% para um total de 2.931 votos; Sâmara Braúna ficou com 9,06% equivalente a 719 votos e Mozart Baldez com 6,17% que somam 490 votos.

ELEIÇÃO JUDICIALIZADA

Embora tenha renovado o mandato para o triênio 2019-2021, Thiago Diaz ainda não pode comemorar. É que a eleição da OAB-MA foi judicializada, nesta quinta-feira (22), na Justiça Federal, em função de supostas irregularidades da Comissão Eleitoral e, principalmente, pela não prestação de contas da atual diretoria da entidade, em tempo hábil.

O candidato da Chapa 1, Mozart Baldez, ingressou com ação, na Justiça Federal, contra a Comissão Eleitoral da OAB/MA; contra a Chapa 4 – “Vamos fazer muito Mais”, representada na pessoa do Dr. Thiago Diaz e também contra a Chapa 2 “OAB de Verdade”, representada na pessoa do Dr. Carlos Brissac, que congrega membros da atual diretoria da OAB que estaria toda inelegível. Além disso, nesta segunda-feira (26), Baldez deverá realizar mais uma representação: desta feita junto ao Conselho Federal da instituição.
Em ambos os pedidos, foram anexados vários documentos comprovando a incapacidade do colegiado em coordenar o pleito eleitoral e a inelegibilidade de Thiago que comprometeu Brissac.
Um relatório divulgado pela imprensa, na noite de ontem, mostrou que Diaz gastou quase R$ 10 milhões em um ano. Nos bastidores, muitos questionamentos estão sendo feitos pelos advogados que colocam dúvidas e suspeitas em relação à prestação de contas do exercício financeiro de 2017. Alguns juristas acreditam que essa teria sido uma das dificuldades que o atual mandatário da OAB encontrou para prestar contas.

Nenhum comentário:

Postar um comentário