WebBanner_IPTUsite2

sexta-feira, 23 de novembro de 2018

Inegibilidade de Thiago e Brissac será decidida pela Justiça Federal


A eleição da OAB-MA foi judicializada, ontem, quinta-feira (22), na Justiça Federal, em função de uma série de supostas irregularidades da Comissão Eleitoral e, principalmente, pela não prestação de contas do atual presidente Thiago Diaz, em tempo hábil.

O candidato da Chapa 1, Mozart Baldez, ingressou com ação, na Justiça Federal, contra a Comissão Eleitoral da OAB/MA; contra a Chapa 4 – "Vamos fazer muito Mais", representada na pessoa do Dr. Thiago Diaz e também contra a Chapa 2 "OAB de Verdade", representada na pessoa do Dr. Carlos Brissac, que congrega membros da atual diretoria da OAB que estaria toda inelegível.

No pedido, foram anexados vários documentos comprovando a incapacidade do colegiado responsável pelo pleito eleitoral e inelegibilidade de Thiago que comprometeu Brissac.

Um relatório divulgado pela imprensa ontem, mostrou que Thiago Diaz gastou quase R$ 10 milhões em um ano. 

Nos bastidores, muitos questionamentos estão sendo feitos pelos advogados que colocam dúvidas e suspeitas em relação à prestação de contas do exercício financeiro de 2017.

Thiago foi eleito em 2015 e assumiu a entidade em 2016. Se conseguir renovar o mandato, ele já pode dizer que ganhou na Mega-Sena, pois estará gerindo mais de R$ 60 milhões nos 6 anos de gestão, tendo com base os R$ 10 milhões de receita do ano de 2017.

Nenhum comentário:

Postar um comentário