WebBanner_IPTUsite2

quarta-feira, 28 de novembro de 2018

Atuação de Felipe Camarão! Escolas públicas estaduais conquistam 21 medalhas na Obmep 2018

O Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), divulgou na última semana o resultado da Olimpíada Brasileira de Matemática (Obmep) 2018.  A rede estadual de ensino conquistou 21 medalhas e 200 menções honrosas na maior olimpíada estudantil do país. Entre as medalhas estão 2 de ouro, 1 de prata e 18 de bronze.

Este ano, mais de 18 milhões de alunos participaram da Olimpíada. Os medalhistas de ouro da rede estadual, são: Lucas Almeida Oliveira, do Colégio Militar Tiradentes II, de Imperatriz, e Eduardo Silva Feitosa da Unidade Integrada Didácio Santos, em Balsas.

Colégio Militar Tiradentes I



O Colégio Militar Tiradentes I, em São Luís, obteve o maior número de medalhas entre as escolas da rede estadual de ensino. A escola inscreveu cerca de 700 estudantes na Obmep, desses 35 passaram para a final. Cinco conquistaram medalhas de bronze, além de 26 menções honrosas.

Os medalhistas são: David Willian da Silva, de 14 anos – 9º ano do Ensino Fundamental; Pedro Henrique Pereira da Silva, 12 anos – 7º ano do Ensino Fundamental; Lia Renata Collins da Silva, de 13 anos – 8º ano do Ensino Fundamental; Danyelle Magalhaes Machado, de 13 anos – 8º ano do Ensino Fundamental; e João Guilherme Veloso de Oliveira, de 12 anos – 6º ano do Ensino Fundamental.

“É uma importância muito grande para nós aprimorarmos os nossos conhecimentos. Além disso tem a iniciação cientifica”, disse David Willian, que ganha medalha pelo terceiro ano consecutivo.
“O mais legal é ser reconhecido na escola por meu esforço, como um aluno dedicado”, destacou Pedro Henrique.“Eu confesso que não esperava porque a prova estava muito difícil, mas, quando veio o bronze eu fiquei muito feliz e grata”, disse Lia Renata Collins da Silva.

“Eu só tenho a agradecer a minha família, pelo apoio, aos professores pelo trabalho. E eu estou muito feliz”, disse Danyelle Magalhães. “Significa resultado de muito esforço, muito estudo. É a primeira vez que eu participo e agora eu quero ouro, no próximo ano”, João Guilherme.

Os campeões foram orientados por um time de professores apaixonados por Matemática, uma de suas paixões. Anderson Humberto dos Santos Sousa, Maria do Socorro Sampaio Gonçalves, Emerson de Jesus, Régia Cristina e Luís Henrique Melo de Matos Júnior. Para eles as premiações são resultado de um trabalho conjunto.

“Isso é um trabalho compartilhado entre os professores e a gestão da escola. Por meio de um plano pedagógico anual, nós trabalhamos para melhorar o ensino e a aprendizagem, e sempre temos um foco na Obmep, que é muito importante para nós. Nas férias nós fazemos um trabalho especifico com os alunos que desejam participar da competição estudantil”, destacou o professor Anderson Humberto dos Santos Sousa.

“Esse resultado estimula os alunos a gostarem mais da Matemática, a tirarem aquela aversão que eles têm em relação a esse componente curricular. Aqui eles são preparados para competir, e principalmente para a vida”, destacou a professora Maria do Socorro Sampaio Gonçalves.

“Ser medalhista na Obmep é alcançar um objetivo, ajudar o aluno a abrir seus horizontes para a vida, a gostar da Matemática e quem sabe se tornar um profissional voltado para essa área”, disse Emerson de Jesus.

“O trabalho da escola é muito bom, também em relação à Obmep. Os alunos são preparados no dia a dia, durante as aulas. Quem vai para a segunda etapa tem reforço muito importante para que possam competir de igual”, disse a professora Régia Cristina.

“Esse resultado envolve não só o professor de Matemática, é coletivo, todos os professores têm participação nesse resultado, entender e interpretar uma questão de matemática, por exemplo, exige conhecimento de Língua Portuguesa. Esse resultado aumenta a responsabilidade de todos”, disse.

“Nossa participação foi bastante exitosa, nós tivemos cinco medalhas de bronze, vinte e três menções honrosas, fruto de um trabalho articulado, um planejamento estratégico bem pensado junto aos nossos professores, uma motivação intensa junto aos nossos alunos e a vitória sempre chega. O importante é isso, ter estratégias diferenciadas para que a gente possa conversar com os pais dos nossos alunos, conversar com os nossos alunos da motivação que é a educação no nosso estado. Estamos muito felizes de poder representar o estado do Maranhão em destaque no nosso país”, revelou Yeda Sá Malta, gestora pedagógica do Colégio Militar Tiradentes.

Aos estudantes medalhistas será oferecida a oportunidade de participar do Programa de Iniciação Científica Júnior (PIC Jr – OBMEP), que inclui o recebimento de uma bolsa do Conselho Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico (CNPq). Em caso de vacância de bolsas, a critério da coordenação do PIC-Jr, um medalhista poderá ser substituído por um aluno que tenha recebido Menção Honrosa e que esteja matriculado no ensino público.

A Obemep

A Olimpíada Brasileira de Matemática das Escolas Públicas (OBMEP) é um projeto nacional dirigido às escolas públicas e privadas brasileiras, realizado pelo Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada (IMPA), com o apoio da Sociedade Brasileira de Matemática (SBM), e promovida com recursos do Ministério da Educação e do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC).

Criada em 2005 para estimular o estudo da Matemática e identificar talentos na área, a OBMEP tem como objetivos principais: estimular e promover o estudo da Matemática; contribuir para a melhoria da qualidade da educação básica, possibilitando que um maior número de alunos brasileiros possa ter acesso a material didático de qualidade; identificar jovens talentos e incentivar seu ingresso em universidades, nas áreas científicas e tecnológicas, entre outros.

Nenhum comentário:

Postar um comentário