Banner B

sábado, 13 de maio de 2017

Acusado de escravizar terceirizados, Mateus pode sair do coração da gente



Dirigentes do Sindicato dos Promotores de Vendas do Maranhão, acompanhados do presidente da Força Sindical Maranhão, Frazão Oliveira, foram recebidos pela Gerente Executiva de Recursos Humanos do grupo Mateus, Railma Costa, na tarde da última quarta-feira (10), para negociar a volta da escala original de trabalho dos profissionais terceirizados, que fora arbitrariamente modificada à revelia dos referidos trabalhadores e das suas empresas de origem, as fornecedoras do grupo Mateus.
Na prática o Grupo Mateus está demitindo todos os seus funcionários repositores de prateleiras dos turnos da tarde e da noite, para substituir seus ex-empregador pela mão de obra gratuita dos terceirizados, os Promotores de Vendas que atuam em suas lojas repondo prateleiras com produtos de suas marcas cujos trabalhadores são pagos por esses fornecedores.
O grupo prometeu rever essa prática nefasta e na próxima segunda – feira (15) dará uma posição ao Sindicato e a Força Sindical, que prometem realizar um barulhento ato público na porta da Hollding do grupo, no bairro da Cohama em São Luis, se o problema não for resolvido.
“ A reforma trabalhista ainda está em curso no Congresso Nacional, mas os seus efeitos maléficos, que são a precarização e o sub emprego, já chegaram com força total, no Grupo Mateus “, denuncia o presidente da Força  Sindical, Frazão Oliveira.
Sindicalistas reivindicam seus direitos ao Grupo Mateus

Um comentário:

  1. Esse grupo nojento é retratado lúcido de que a escravidão ainda não acabou. Falo de escravidão trabalhista e moral de trabalhadores de todas as etnias.

    ResponderExcluir