quinta-feira, 20 de abril de 2017

Inquérito deve provocar rompimento de contrato com a Odebrecht Ambiental no MA

Um inquérito de 47 volumes, instaurado pela Promotoria da Improbidade de São José de Ribamar e já concluso para ser transformado em ações penal e civil pública, deve provocar o rompimento do contrato entre a Prefeitura do município e a Odebrecht Ambiental, responsável pelo abastecimento d´água não só daquela cidade como de Paço do Lumiar.
O inquérito foi instaurado pelo Ministério Público ribamarense para apurar, basicamente, como foi conduzido o processo licitatório que resultou na contratação da Odebrecht, ainda na gestão do ex-prefeito Gil Cutrim; em que circunstância se deu o destrato com a Companhia de Saneamento do Maranhão (Caema) e a execução do contrato em si. O procedimento foi instaurado diante de suspeitas de fraude e direcionamento na licitação ganha pela Odebrecht.
Cientificado oficialmente pelo Ministério Público, o prefeito Luís Fernando, logo nas primeiras semanas da sua gestão, criou uma comissão para avaliar desde o procedimento licitatório, passando pela contratação e execução do contrato com a Odebrecht Ambiental.

Nenhum comentário:

Postar um comentário