WB-Combate-Mosquito-960x90px

domingo, 23 de abril de 2017

Fórum Maranhense de Mulheres emite nota pedindo a punição de agressores e estupradores

                                                  


                                               NOTA!

O Fórum Maranhense de Mulheres, entidade que agrega grupos feministas e de mulheres, vem a público manifestar sua preocupação e indignação contra a onda de violência que tem atingido as mulheres neste Estado, a forma banalizada como vem sendo tratada pela imprensa e pela pouca atenção dada pelos órgãos do Estado no sentido de construir políticas mais eficazes para coibir os abusos e enfrentar o fenômeno da violência combatendo a impunidade. 

Nestas duas últimas semanas nos deparamos com a violência ultrapassando os muros das universidades, fato evidenciado na Universidade Federal do Maranhão, quando uma aluna foi estuprada. A esse caso se somam outros tantos que acontecem nas escolas, dentro dos lares, sem que a sociedade tome conhecimento.

Nos deparamos ainda, com um episódio envolvendo uma menina de 15 anos no Município de Monção, que acusa seu pai através de carta, de tê-la estuprado há dois anos, levando-a ao suicídio. Neste caso em especial a mãe através de Boletim de Ocorrência confirma acusações da filha. Mesmo com esse Boletim, o delegado que cuida do caso não considera ter indícios para prender o acusado. 
Outro fato aconteceu semana passada envolvendo o Secretario de Comunicação do Município de Morros acusado de agredir a ex-esposa, depois de tê-la amarrado e lhe batido de cordas. O Secretario é reincidente neste tipo de ato, ou seja, não é a primeira vez que agride mulheres, mesmo assim nenhuma providência foi tomada no sentido de prendê-lo. 

Em Timon o vice-presidente do PCdoB é preso por estuprar duas meninas de 10 e 12  e há suspeita de que também abusava de uma outra menina de 13 anos. A denúncia foi feita pela mãe das meninas, fato que levou o estuprador a ser preso. É necessário pressão para mantê-lo na prisão, é preciso também expurgá-lo da política. Este tipo de gente não merece fazer parte de um Partido político decente. 

Ainda na semana passada um escritor conhecido dos meios culturais, assedia e tenta estuprar uma jovem no Bar Chicos Discos, sob os olhares de grande parte dos presentes. A vítima estava em companhia de duas amigas que também foram agredidas e fizeram Boletim de Ocorrência da agressão. O agressor pede desculpas e considera o fato encerrado pelo pedido de desculpas. Neste caso houve bastante debate nas redes sociais e muita polêmica, alguns blogueiros acusam as vítimas de estarem polarizando sem razão, de quererem sangue, como se o simples fato do escritor pedir desculpas, o redimisse do ato violento. 

Esses episódios recentes que nos chocam pela forma como são tratados pela  imprensa  e redes sociais, que muitas vezes distorcem o caso, ou não veiculam noticias que envolvem pessoas que tem poder aquisitivo elevado, caso do comerciante acusado pela  filha de estuprá-la e que a imprensa não cita, não comenta e parece ignorar o caso jogando a culpa no padrasto da menina. O caso do escritor agressor que é redimido em vários blogs e as vítimas são culpabilizadas de denunciar o fato na Delegacia e de divulgarem o ato de violência.

Por esta razão o Fórum Maranhense de Mulheres repudia as atitudes não somente dos agressores e estupradores, mas daqueles que são coniventes com o problema.   Conclamamos todos para refletir sobre o aumento dos casos que atingem as mulheres e apelamos para a solidariedade da sociedade para a criação de uma grande Rede de Enfrentamento da Violência contra as Mulheres em todos os Municípios maranhenses. Solicitamos o apoio dos órgãos de imprensa para não dar trégua aos agressores e estupradores de mulheres, aos Partidos que desfilem homens envolvidos em agressões de mulheres, escolas e universidades que punam e demitem professores envolvidos em agressões a alun@s, mães e pais que adotem uma educação sem relações de gênero com as crianças, assim vamos começar a criar uma nova cultura neste Estado.  

Mary Ferreira, Neuzely Pinto Almeida, Dayana Roberta Gomes
Coordenação do Fórum Maranhense de Mulheres

Nenhum comentário:

Postar um comentário