quarta-feira, 12 de abril de 2017

"Desonesto e propineiro barato", diz Andrea Murad sobre Flávio Dino


Andrea Murad (PMDB), líder do bloco da Oposição na Assembleia Legislativa, discursou hoje sobre a citação do governador Flávio Dino (PCdoB), na operação Lava Jato. O Ministro do STF e relator, Edson Fachin, recomendou o encaminhamento do suposto envolvimento de Flávio Dino e a investigação de um suposto recebimento propina de R$ 400 mil, que teria sido destinada para sua campanha de 2010, conforme denúncia do próprio delator da ODEBRECHT.
Andrea Murad leu trecho da decisão. “Vou ler para vocês o trecho principal da decisão: ‘Trata-se de petição instaurada com lastro no termo de depoimento do colaborador José de Carvalho Filho, o qual relata que, no ano de 2010, participou de reuniões com o então deputado federal Flávio Dino, tratando de questões acerca do Projeto de Lei (número tal), ao qual atribuiria segurança jurídica a investimentos do grupo Odebrecht. Em um desses encontros, teria lhe sido solicitada ajuda para campanha eleitoral ao governo do estado do Maranhão, pagamento efetuado no total de R$ 400 mil. A senha para receber o repasse teria sido entregue, à época, ao próprio parlamentar’”, discursou Andrea.
A parlamentar fez duras críticas ao governador Flávio Dino que utilizou, segundo as denúncias apuradas por ela, dinheiro de caixa 2 para campanha eleitoral, podendo, caso seja investigado e condenado, ser enquadrado por corrupção passiva, lavagem de dinheiro e falsidade ideológica eleitoral. Para Andrea, o atual governador comunista vem utilizando seus mandatos para "extorquir empresários e garantir apoios para as próximas eleições".
“Vem muito mais pela frente. O Governador Flávio Dino hoje é chamado de príncipe da Lava-Jato. O rei da moralidade, aquele que fala tanto em honestidade, que persegue seus adversários políticos, é um governador, um político corrupto, pequeno, medíocre. Quantas vezes vezes ouvi  que a única coisa que não poderia falar do Governador é que ele é corrupto, que nem acusação de nada existia contra ele. Agora, ninguém pode mais abrir a boca para dizer que o Governador não é corrupto, porque ele é corrupto. O que será que ele não está fazendo aqui no governo do Maranhão? Quanto será que ele cobra de propina para as empresas que trabalham aqui? Será que o projeto que ele fez esta casa aprovar beneficiando empresas milionárias, onde aqui no Maranhão só existe uma empresa nos moldes do projeto, será que ele vai tentar extorquir o Mateus? Eu não acredito que o Mateus possa aceitar uma coisa como essa, porque Flávio Dino quer isto, garantir a eleição dele de 2018 aprovando um projeto nesta Casa para ser reeleito. Isso é apenas a Ponta do Iceberg, vem muito mais por aí”, falou a deputada.
Ao fim da sessão desta quarta-feira (12), Andrea Murad lamentou que apenas a oposição de fato deu a importância merecida ao assunto, na intenção de esclarecer toda a população maranhense dos graves fatos contra o governador Flávio Dino.

“Importante que nós deputados, que não somos da base do governo, nos posicionemos, esclarecendo a grave situação em que se encontra o governador Flávio Dino, citado oficialmente na Lava Jato, sendo recomendada investigação por ter recebido propina quando deputado federal para auxiliar na sua campanha de 2010. Então, a oposição vem fazendo o seu papel, não podemos nos calar e muito menos deixar a população desinformada sobre esse fato, que venho dizendo, ano após ano, sobre o envolvimento dele no maior esquema de corrupção já revelado para o mundo inteiro. Agora está aí, consumado oficialmente na lista da Lava Jato. Como eu falei, isso é só a pontinha do iceberg, além da ODEBRECHT, tem OAS, tem CONSTRAN, são mais de cinco milhões e aí nós vamos ver”, avaliou Andrea Murad.

Nenhum comentário:

Postar um comentário