WB-Combate-Mosquito-960x90px

quinta-feira, 23 de fevereiro de 2017

O que se esperar de uma empresa cujo o dono foi ex-sócio de Alessandro Martins na Euromar?



Thâmara Silva - A UNIHOSP de São Luís faz uma tremenda propaganda enganosa. O diretor do PROCON, que adora aparecer, até hoje nunca se posicionou a respeito das longas filas que os hospitais da Unihosp possuem. A exemplo da UPC, Centro Médico e Ibiraquera, que estão reféns deste convênio que vendem aos seus consumidores preços ” bem em conta”, mas é como trocar gato por lebre.

Eu, Thâmara Silva, titular do Blog da Riquinha encontro-me desde as 4 horas da manhã  de hoje , (22),  no Centro Médico, em uma terrível crise asmática, sendo que a médica, muito competente que me atendeu liberou a minha internação desde bem cedo. E sabe o que acontece? A UNIHOSP está em uma ” tal de auditoria  médica ” para liberarem minha internação. Enquanto isso, sinto-me jogada, vítima de propaganda enganosa.
Além disso ainda fui tratada mal ao reclamar para uma  enfermeira o que estava acontecendo por parte acompanhantes de pacientese dos funcionários, simplesmente gritando e riam como se ali fosse um circo. Respondi na lata: mande os enfermeiros respeitarem idosos e jovens que estão debilitados e não me atenda mais sob hipótese nenhuma já que você é saliente e acha que tá lidando com um bandido, estou apenas reclamando meus direitos.
Pois  continuo doente, pálida e respirando por aparelhos sem a menor assistência, apenas descasos e mais descasos.
O diretor do Procon sabe ganhar “midiazinha”, mas duvido se meter com o poderio UNIHOPS, exemplo Centro Médico, mas não, com a  Hapivida ele soube multar, por ser um convênio menor. É um presidente midiático. Pois diversas vezes foram denunciadas à ele a maneira a qual os beneficiários da UNIHOPS são tratados.
“Fui obrigada a assina um termo de responsabilidade, pois a falta de respeito de meditarem de dramin e dipirona eu já não aguentava mais é nem iria tomar para melhorar a asma com aquele tipo de descaso, sem ao menos medir meu peso, pois foi um dos que vitimou o filho do governador do Maranhão, Flávio Dino, que também possuía essa mesma doença que eu tenho.”
As 02:30 , do 23 de fevereiro, eu não aguentei pedi pra sair, pois as enfermeiras debochavam e detesto, zoada e piadinhas com pacientes.

” Dei entrada no hospital ( Centro Medico) aproximadamente às  04:00 da manhã do dia 22 de fevereiro e não recebi tratamentos adequados. Tendo vômitos é demasios. Não fui imediatamente internada,, nem pro balão de oxigênio que era o que mais precisava. Nem tratada com dignidade” palavras de uma asmática que só precisava de oxigênio e não dipirona.
Mas como digo no título, o que se esperar de uma empresa como a UNIHOSP, cujo dono foi ex-sócio do estelionatário Alessandro Martins Euromar?

Nenhum comentário:

Postar um comentário