WebBanner_IPTUsite2

domingo, 8 de janeiro de 2017

Após 35 dias, caso da idosa violentada em Bequimão continua sem solução


Parece que o estado do Maranhão não tem polícia e muito menos justiça para resolver um problema que chocou o município de Bequimão no último dia 3 de dezembro, quando uma idosa de 79 anos foi agredida e violentada por um marginal conhecido na cidade por Pendão, que segundo populares é traficante.
O caso chamou atenção de moradores da cidade, que chegaram a fazer uma manifestação, mas nenhuma autoridade policial ou de justiça se manifestou sobre caso, e já se passaram 35 dias do ocorrido, e nenhuma atitude foi tomada.
O que parece diante do comodismo judiciário, é que a vitima não tem importância para a sociedade, mas a constituição diz que somos iguais perante a lei; o que não está sendo feito na cidade de Bequimão. As autoridades responsáveis pelo caso ficaram caladas diante de uma maldade cometida por um bandido que deita e rola na cidade.
O que está faltando para que alguma atitude seja tomada? Coragem ou vontade para resolver o problema? Ou ainda não foi resolvido porque a vítima não tem sobrenome (Sarney, Fecury, Milhomem, Gonçalves, Costa, Macedo, Rocha, ECT…)? Se é esse o problema, está mais que provado que sobrenome ainda funciona como influência no Maranhão.
RESOLVER CASO OU PEDIR PRA SAIR
Gostaria de saber do excelentíssimo senhor delegado, hoje Secretário de Segurança do Estado, Jeferson Portela, se os seus subordinados não estão aptos para resolver um problema desse? Por que quando é com alguém da alta sociedade, a polícia resolve tudo em menos de 24h? Existe uma diferença entre a integridade de um pobre e de um rico? O nobre secretário de segurança nunca soube desse caso ou fingiu que nada aconteceu? Queremos uma resposta imediata. A solução é pra ontem. Por que não pressionar o Superintendente de Polícia Civil do interior, Delegado Dicival, a resolver o problema de imediato. Nem superintendente de Polícia Civil, nem delegada, nem ministério público ou outra autoridade judicial se manifestou sobre o caso. Um bandido tirando onda de autoridades. Onde fica a moral? Cadê o delegado (secretário) que diz ter assumido a segurança do Maranhão para resolver o problema? O que me parece é que a diferença entre Raimundo Cutrim, Aloísio Mendes e Jeferson Portela, é apenas no nome. As atitudes são as mesmas…Medo de enfrentar bandidos!

Nenhum comentário:

Postar um comentário