Banner B

sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Plano mostra desafios para o saneamento básico em Bacabeira

Apenas 0,79% dos domicílios possuíam
 rede geral de esgoto sanitário
em 2010, segundo IBGE.


A Campanha da Fraternidade Ecumênica deste ano, realizada pela Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) e pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs (Conic), teve como tema “Casa comum, nossa responsabilidade”, com foco no saneamento básico, desenvolvimento, saúde integral e qualidade de vida aos cidadãos. De acordo com dados divulgados pelo Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (Conic), mesmo entre as maiores economias do mundo, o Brasil possui mais de 100 milhões de pessoas sem saneamento básico.
Numa análise local, Bacabeira se mostra eficiente na prestação de serviços relacionados, por exemplo, ao tratamento do esgoto? Em 2010, segundo dados do IBGE, 13,23% dos domicílios particulares permanentes do município não possuíam banheiro ou sanitário. Dos demais domicílios que possuíam, somente 0,79% dispunham de rede geral de esgoto sanitário, valor bem abaixo da média do estado que é de 11,65%, enquanto que 35,20% faziam uso de fossas sépticas e 64,12% utilizavam algum outro tipo de esgotamento sanitário.
O Plano Municipal de Saneamento Básico, elaborado no passado, pela Prefeitura de Bacabeira, revela um diagnóstico da situação deste setor no município. Contudo, a versão preliminar do estudo serve pra mostrar alguns desafios que a prefeita eleita Fernanda Gonçalo (PMN) irá enfrentar.
Com a confecção do plano, o Município possui um diagnóstico completo do quadro de saneamento. Com isso, será possível programar iniciativas concretas e direcionadas para a melhoria na qualidade do serviço de saneamento básico.
A futura administração terá o objetivo de levar à universalização dos serviços de saneamento, que incluem abastecimento de água potável, esgotamento sanitário, limpeza urbana e manejo de resíduos e drenagem de águas das chuvas. No entanto, se depender da próxima prefeita, a norma municipal que regulamenta a Política de Saneamento Básico não ficará só no papel. Isso porque mesmo sem assumir o cargo para a qual foi eleita, Fernanda já iniciou uma serie de vistas a órgãos públicos visando pleitear recursos federais para investimentos no setor.


No final de outubro e ao longo deste mês, um carro pipa da Fundação Gonçalo pertence à família da prefeita eleita, esteve percorrendo várias comunidades realizando abastecimento de água. A iniciativa, por exemplo, mostra que a próxima gestão municipal pretende mudar o índice de cobertura de água na cidade.
E MAIS:
O documento ao qual o blog teve acesso revela que ao longo de 2014, a Prefeitura de Bacabeira teve R$ 644.669,60 em despesas com saneamento, sendo mais de 80% desse montante referente à gestão de resíduos sólidos e limpeza pública, especialmente com o contrato que fornece mão-de-obra para tal fim.



Nenhum comentário:

Postar um comentário