Banner B

sexta-feira, 26 de agosto de 2016

Professores se manifestam e Sinproessema fica desmoralizado

Filipe Mota - Os professores estão duas semanas fazendo protestos contra o governo do estado e contra a atual diretoria do próprio sindicato que “representaria” os mesmos, estão alegando que o sindicato estaria aliado do governador Flávio Dino e consequentemente sendo omisso aos desmandos com a classe dos professores, onde não houve avanço e que existem várias mentiras em torno das propagandas governamentais, mentindo para a população dizendo que a educação do Maranhão está uma maravilha, quando na verdade professor tá sendo tratado como “INIMIGO”pelo governo da mudança, veja um trecho do manifesto:



O governo Flávio Dino se antecipa e viola leis que garantem direitos aos servidores estaduais, impondo a estes severas perdas. No caso específico da educação, o governador resolveu rasgar a Lei do PISO,motivo pelo qual nós, trabalhadores,  já amargamos SETE meses de REAJUSTE SALARIAL ZERO. Não satisfeito em impor aos professores sua política arrocho salarial, o governador também decidiu violar leis estaduais que garantem outros direitos aos educadores, dentre elas destacamos o ESTATUTO DO MAGISTÉRIO e a lei que estabelece a gratificação para os funcionários de escola. Como se tudo isso não bastasse, seu governo resolveu lançar mão de uma mega campanha midiática em que vende à população maranhense inverdades sobre a realidade educacional do estado e sobre a forma como trata os profissionais da educação.

Postura da DIRETORIA DO SINPROESEMMA

Diante das políticas governamentais de NEGAÇÃO DE DIREITOS e REAJUSTE ZERO, a diretoria do SINPROESEMMAtem feito de tudo para evitar que o professorado se insurja contra o governo Flávio Dino (PCdoB). Ao longo de SETEmeses de negociações entre SINPROESEMMA e SEDUC, os dirigentes sindicais insistem em propagar a tese de que há avanços no processo negocial, apesar da não concessão do reajuste salarial de 11,36%aos educadores.

Diante desse gravíssimo contexto, hoje afirmamos, com todas as letras, que a greve na rede estadual só ainda não ocorreu porque a diretoria do sindicato é aliada do governador e, sendo assim, nega-se a fazer seu papel e vem tentando de tudo para minar qualquer ação do M.R.P, que objetiva mobilizar e organizar os educadores para realizar o enfrentamento das nefastas políticas do “Governo da mudança”. Para essa realidade mudar, nossa categoria necessita despertar e agir no sentido de exigir a imediata convocação de uma ASSEMBLEIA GERAL, pois somente assim teremos a oportunidade de deliberar pela greve geral. Uma vez iniciada a greve, nela lutaremos em prol da GARANTIA DE DIREITOS e contra os ATAQUES dos governos Temer e Flávio Dino.



Nenhum comentário:

Postar um comentário