WebBanner_IPTUsite2

quarta-feira, 31 de agosto de 2016

EDIVALDO JÚNIOR, O MAIS REJEITADO DE TODOS


Mesmo mostrando obras e mais obras em seu programa eleitoral, incluindo as obras do governo federal como a construção de 10 mil em São Luís, o que caracteriza uma mentira, o eleitor continua rejeitando o prefeito Edivaldo Holanda.

Dentro de uma semana diversas pesquisas foram feitas e ontem a pesquisa IBOPE também avaliou a rejeição do candidato a prefeito de São Luís. E o aspecto é amplamente negativo para Edivaldo.

Nesse primeiro momento da campanha eleitoral ele lidera no cenário de intenções de votos, mas tem uma situação que está deixando o ninho do pedetista em pânico que pode complicar a sua permanência na prefeitura, ele é o candidato com o maior índice de rejeição na capital. Ao todo, 37% dos eleitores assinalaram o nome dele neste item.

Esse alto índice de rejeição é visivelmente explicado, não precisa nem de pesquisa para indicar. Um dos motivos é a educação, que foi o setor mais maltratado e abandonado pelo prefeito, outro a falta de mobilidade urbana que é inconcebível para uma cidade que tem mais de 1 milhão de habitantes e não foi feito nada que pudesse resolver.

O eleitor percebeu que a arrancada que o prefeito deu em ano de eleição, colocando asfalto nas principais avenidas da cidade são obras eleitoreiras e ainda se aproveita da parceria feita com o governo do estado para emplacar seu nome como gestor. O exemplo disso é a obra do Hospital da Criança que tem um investimento direto do Flávio Dino.


O eleitor rejeita mesmo e com razão, um gestor que passou 4 anos e não tem uma obra de grande relevância; o eleitor rejeita quando procura as creches prometidas e nem o terreno encontra; quando lembra que o prefeito prometeu subprefeituras para está mais perto da comunidade; quando busca um atendimento de saúde de alta complexidade e se sente enganado quando o prefeito prometeu construir o hospital Dr. Jackson Lago e rejeita mesmo, quando descobri que as mentiras pregadas em 2012 estão de novo no discurso.                         

Nenhum comentário:

Postar um comentário