Banner B

quarta-feira, 6 de abril de 2016

A POPULARIDADE DA ESTRATÉGIA


A capacidade de aumento urgente da popularidade do prefeito Edvaldo Holanda preocupa desesperadamente  aliados.  Quanto mais se tenta popularizar o prefeito,  mais aumenta a rejeição.  Sem discurso, rodeado de ameaça de improbidade, isolado, fraco e sem comando, representa muito bem o papel de garoto propaganda.  Mas só isso não está funcionando, pois  nas próximas eleições, enfrentará adversários de peso, como Eliziane Gama, Fábio Câmara, Rose Sales, Wellington do Curso e etc.. Há de se pensar, de forma rápida e urgente, em uma estratégia eficaz, para que o prefeito não seja trucidado, massacrado e desmoralizado, por falta de preparo.

Eis que surgiu a grande idéia ─ cômoda e financeira ─ do deputado Werveton Rocha, líder do PDT. Do mesmo partido do prefeito, e principal articulador da campanha do Edivaldo, se intitula substituto do Dr. Jackson Lago. Ele afirma que vai eleger 4 (quatro) vereadores e o prefeito, e retalhar cruelmente  quem dispensou o seu apoio.

"Arrendar um canal de TV"!!!!!.

"Pronta, lançada e aceita a proposta da TV Difusora” (os valores nunca serão revelados claramente).

A ideia é massificar a emissora de Lobão com propaganda da prefeitura, para tentar mascarar a total falta de gestão por que passa hoje o município de São Luís.

Há suposições em  que o governo do estado também dará sua contribuição em  grandes contratos de propaganda. Exatamente como forma de quitação de qualquer divida ainda existente entre os chefes dos poderes executivos.  E, claro, a saída pela tangente do governador do compromisso de qualquer apoio na  reeleição do prefeito desgastado.

A TV Difusora servirá como uma poupança compulsória para a campanha do PDT. Tudo armado e montado no palco desesperado da armação, para tentar salvar a reeleição de Edivaldo. No velho sistema de toma lá dá cá, legalizado.

Há rumores nos bastidores de que os candidatos do PDT estão em estado de êxtase, esperando seu quinhão. A euforia generalizada é grande. Já existem pré-candidatos estabelecendo os valores que vão receber.

Esta estratégia é mais uma forma desesperada do objetivo da reeleição. Já que:

- A contratação aleatória e desordenada de pessoas para a prestação de  serviços para a prefeitura através do contrato irregular com o instituto ISEC que não funcionou, pois a prefeitura não tem dotação orçamentária para honrar com os salários. Foi um tiro no pé.

- O convênio do asfalto feito com o governo,  prematuramente foi outro tiro que saiu pela culatra. Fizeram o convênio cedo demais, e a chuva levou o dinheiro público desperdiçado na má qualidade do asfalto. E nos  velhos e conhecidos conchavos de  trâmites licitatórios.

- Outra estratégia foi nomear um secretário de renome para salvar a  secretaria de educação. Foi chamado  Moacir Feitosa. Educador competente, nomeado para a secretaria, arrependido,  já pensa em deixar a pasta .Nos bastidores do poder falam  que o rombo na secretária deixado pelo ex-Secretário Geraldo Castro passa dos 12 milhões de reais.

A Secretaria de Educação foi definitivamente sucateada, falida e destruída pela irresponsabilidade  do ex-secretário Geraldo Castro. Hoje um dos mais tranqüilos pré-candidatos a vereador de São Luís.

- Outra estratégia, a tal de licitação de transporte publico, foi  um engodo generalizado, visto que beneficiará antigos amigos empresários e possíveis colaboradores da campanha.  Foi considerada por muitos  "uma forma diferente de fazer a mesma coisa",  e não passou de mais uma crueldade com a população.

A Secretaria de Comunicação  é criticada constantemente  pelo deputado Edivaldo Holanda,  conhecido como Holandão - ( pai do prefeito) . Com  orçamento em torno de 24 milhões de reais ano, para exclusivamente fazer propaganda enganosa  do governo de Edivaldo,  também não surtiu efeito.

O efeito foi positivo somente para o ex-secretário Batista Matos, hoje pré-candidato a vereador de São Luís, também com uma condição financeira confortável.

No entanto, a pior estratégia foi, sem duvida, as interferências cruéis e sem qualquer critério técnico no  trânsito  da capital. O todo-poderoso Canindé Barros, secretário de trânsito e transporte, fez em São Luís um verdadeiro festival de sandices e desperdício de dinheiro público.

Canindé também está de olho em uma cadeira na câmara municipal.  Para os "seus", é hoje,  sem sombras de dúvidas,  o secretário " prefeito"  de São Luís. Confortável também financeiramente diante da eleição.

Será bastante hilário: A TV Difusora salvar a reeleição de Edvaldo Holanda.

Estratégias à parte, o reflexo da péssima gestão é sentida na pele pela população de São Luís todos os dias.

Mesmo com todas as estratégias falidas, Edivaldo e sua equipe não desistirão nunca do projeto de reeleição.

Pois todos que o acompanham acreditam no lema estabelecido pela gestão
                                       "Quem tem dinheiro não pede favor"


Nenhum comentário:

Postar um comentário