WebBanner_IPTUsite2

quinta-feira, 31 de março de 2016

UEB Darcy Ribeiro sofre com a falta de água e a infraestrutura precária


 A diretoria do Sindeducação , registrou mais uma da série “Abandono das Escolas da rede pública municipal de São Luís”.

Desta vez a escola visitada foi a UEB Darcy Ribeiro, localizada na Av. dos Africanos, bairro Sacavem. A escola está totalmente abandonada – não somente nos aspectos físicos e pedagógicos, mas também por um governo imaturo que vem desassistido os problemas relacionados ao sistema educacional.

 “A Prefeitura de São Luís que já tem ampla ciência do problema e, até o momento, não teve um posicionamento concreto perante o cenário de descaso e abandono do prédio”, mencionou a presidente do sindicato, Elisabeth Castelo Branco.

Espaço comprometido

A escola está completamente comprometida – a instalação hidráulica funciona em condições subumanas, ocasionando ainda, a constante falta de água, fato que contribui para a suspensão das aulas. A instalação elétrica também comprometeu grande parte dos dias letivos em 2015 – falta de energia; salas muito quentes pela insuficiência de ventiladores; muitas tomadas não funcionam regularmente, o que impossibilita o uso de equipamentos eletrônicos. No período chuvoso, a estrutura do forro corre risco de desabamento, além da infiltração da água causando rachaduras na parede.

A unidade já foi alvo de criminosos por diversas  vezes. Os atos de vandalismo estão sendo favorecidos pela péssima infraestrutura da unidade, que não apresenta nenhuma medida de segurança e, os criminosos invadem e saqueiam com facilidade. Tudo isso, segundo os professores, gerou um atraso repentino no desenvolvimento disciplinar da escola, e o pior, problemas básicos como a falta de água e a insegurança no espaço escolar nunca foram solucionados.

Incompetência ou má gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior?

2016 – A atual realidade da rede de ensino municipal de São Luís é só um pequeno parâmetro da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior nos anos de 2013, 2014 e 2015, onde o fruto prioritário foi sua individualidade política – nesses três anos de governo a educação foi inserida num contexto de desordem sistemática imposta por gestores incapazes de revolucionar o processo educacional do município.

Pelas imagens percebe-se um palco recheado de transtorno – e os aplausos são para inércia do prefeito Edivaldo Holanda Junior, que em três anos de gestão, arruinou o ensino municipal e continua tornando impossível os sonhos de milhares de crianças e adolescentes que almejam um futuro promissor.


 “Não vamos descansar enquanto o governo municipal não conduzir a educação como prioridade”, concluiu a professora Elisabeth Castelo Branco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário