Banner B

segunda-feira, 28 de março de 2016

A ABOMINÁVEL FALÊNCIA DE UMA GESTÃO SEM PRINCÍPIOS




Exatamente isso que se vê nas atitudes e ações retalhadoras e inconsequentes da gestão do prefeito Edivaldo Holanda Junior, a exoneração do violonista clássico Professor João Pedro Borges, foi um duro golpe na cultura ludovicense.

A Escola Municipal de Música é um projeto do violonista João Pedro Borges que o elaborou em parceria com Victor Antonio Vieira, na época o Prefeito Tadeu Palácio, que já tinha a ideia de deixar um legado de valor para a cidade de São Luís, buscou os recursos e criou a escola por decreto, funcionou muito bem durante sua gestão e chegou a ter quase setecentos alunos, no governo do ex - prefeito João Castelo foi abandonado. Havia secretário com opinião de que violino não era instrumento para pobre e sim, para a elite, e que aprender música era desnecessário, foi nessa ocasião que as portas foram fechadas, Vergonhoso, insensato e completamente irresponsável, o ato de exoneração do Professor que sempre dedicou sua vida para ensinar música com forma de resgate e desenvolvimento social e profissional de jovens e adultos de baixa renda, um verdadeiro fabricante da engenharia da oportunidade através da cultura e da educação.

Ver.Franscisco Chaguinhas ao lado do grande mestre da Cultura 

A motivação da exoneração coincide estranhamente e exatamente com o entusiasmo do violonista com o requerimento aprovado de autoria do vereador Francisco Chaguinhas (oposição a gestão do prefeito Edivaldo), a reativação da escola municipal de música que foi aprovado por unanimidade pelo plenário da câmara municipal no último dia 18 .

Perseguição seria a palavra chave? Ou regra de gestão do governo municipal. O vereador Francisco Chaguinhas lamentou a falta de responsabilidade e pela forma que a prefeitura trata as pessoas que querem trabalhar, na ocasião, o parlamenta disse que irá implantar com recursos próprios uma escola de música nas dependências do bairro São Cristovão –, onde lá, será dado o primeiro passo de uma ação contribuinte para o desenvolvimento das crianças, jovens e adultos de nossa cidade. E lançará um desafio a Edivaldo Holanda, por em funcionamento a escola de musica municipal antes de junho. Já que o prefeito não faz o vereador Francisco Chaguinhas vai fazer.

Coincidência ou não? Mostra a total falta de princípios de uma gestão completamente descompromissada com a população, e que não merece mais nenhum crédito de aceitação, e ações desta natureza transforma o prefeito Edivaldo Holanda Junior definitivamente sem o mínimo de condição de representação do povo como chefe do poder executivo municipal, que o credencia a uma total inutilidade para um possível próximo mandato.

Nenhum comentário:

Postar um comentário