WebBanner_IPTUsite2

sábado, 9 de janeiro de 2016

SINDEDUCAÇÃO recusa Calendário Escolar 2016 proposto pela SEMED



Em reunião realizada dia 22 de dezembro, a última de 2015, entre a Direção do Sindeducação e o secretário de Educação, Geraldo Castro Sobrinho, que esteve acompanhado de superintendentes do órgão, os representantes da SEMED apresentaram o calendário escolar – 2016, requerendo a anuência e assinatura do SINDEDUCAÇÃO.

O Calendário apresentado definia o fim do período letivo de 2015 e o início do ano escolar de 2016, mas, não apresentava qualquer dado resolutivo para os problemas antigos como a falta de infraestrutura, segurança e número insuficiente de profissionais.

A prof.ª Elisabeth Castelo Branco, presidente do Sindeducação, esteve acompanhada das diretoras sindicais Isabel Cristina, Orfisa Surama e Márcia Dutra. Para a presidente a assinatura de um documento desta natureza é totalmente inviável. “No documento não consta sequer uma solução para os inesgotáveis problemas da Rede de Ensino, fato que demonstra o descompromisso do governo Edivaldo Holanda com a educação pública da Capital”, explicou Elisabeth.

De acordo com as dirigentes sindicais Orfisa Surama e Isabel Cristina, o calendário escolar está totalmente desconexo, ou seja, apresenta o decorrer do ano letivo como se a situação das escolas estivessem 100% estruturadas e seguras, por exemplo.
O ano de 2016 começou e a prefeitura de São Luís, através de seu secretário de Educação, Geraldo Castro Sobrinho, tem demonstrado que pouco interessam os problemas das escolas municipais, mesmo tendo o Sindeducação tentado ao longo de 2015, resolver os problemas alertando a SEMED sobre as condições postas à educação do município. "Caso a Prefeitura de São Luís não resolva essas problemáticas existentes teremos que tomar outras medidas – sem descartar a possibilidade de uma Greve Geral para tentar resolver os intermináveis problemas no ambiente escolar" afirmou a presidente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário