WB-Combate-Mosquito-960x90px

segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Magno Malta conclama igrejas e movimentos organizados para vigília contra às drogas no STF

A partir da próxima quarta-feira, o Supremo Tribunal Federal continua com a polêmica votação para legalizar o plantio e porte de drogas para uso recreativo no país. Os ministros Gilmar Mendes, Luiz Edson Fachin e Luís Roberto Barroso, do Supremo Tribunal Federal (STF), já votaram a favor da descriminalização do porte de maconha para consumo pessoal. Faltam ainda os votos de oito ministros para uma decisão final sobre o assunto. “Quero conclamar as famílias sofridas e marcadas pelas drogas, líderes religiosos de todos segmentos e os movimentos organizados da sociedade para uma vigília cívica na frente do STF”, chamou senador Magno Malta, presidente da Frente Parlamentar Mista da Família no Senado Federal.



Em áudio, com sotaque estrangeiro e tom emocionado, o Padre Pedro, também conclamou todas as religiões do país para a vigília na quarta e quinta-feira em Brasília, “É para manifestar nossa indignação contra os ministros que estão votando para liberar as drogas que destroem nossa sociedade. É um pedido de Deus, que recebi pela Luz, que todas religiões e homens como senador Magno Malta devem fazer a vigília contra est mudança na lei que pode afetar a vida de crianças, jovens e ameaça nossas famílias”, lamentou Padre Pedro, quase em lágrimas.
O julgamento, iniciado em agosto e retomado nesta quinta, foi interrompido por um pedido de vista do ministro Teori Zavascki, o próximo que votaria. Como pediu mais tempo para analisar o assunto, não há previsão para retomada do julgamento.

Na sessão da semana passada, Fachin e Barroso seguiram parcialmente o voto proferido em agosto pelo relator do caso, ministro Gilmar Mendes. Na ocasião, ele votou para derrubar o caráter penal do porte para consumo de qualquer droga. Fachin e Barroso, no entanto, restringiram a descriminalização apenas para a posse de maconha voltada para uso próprio.

Ainda na semana passada, senador Magno M\alta, após os três votos contra, gravou vídeo também convocando todas religiões para unirem força contra esta ameaça. “Cientificamente são comprovados diversos malefícios das drogas. Em um Brasil de fronteiras abertas, vivendo uma onda de violência promovida pelo narcotráfico milionário, legalizar a maconha é criar um exército de formiguinhas manipulado pelos barões das drogas. Eu estarei em Brasília, continuou minha peregrinação pelo STF e estarei na vigília cívica”, encerrou Magno Malta.


Assessoria de Comunicação

Nenhum comentário:

Postar um comentário