WB-Combate-Mosquito-960x90px

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Projeto Eleitoreiro : Edivaldo Holanda Júnior aplicará R$ 1,7 milhão em projeto

Do Atual 7
Se o ex-prefeito de São Luís, João Castelo (PSDB), apostou todas as suas fichas no projeto de implantação do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) para enganar a população e levar a reeleição em 2012, o atual prefeito da capital, Edivaldo Holanda Júnior (PTC), não fica para trás: restando pouco mais de um ano para as eleições de 2016, o petecista aposta todas as suas fichas no também projeto eleitoreiro BRT (Bus Rapid Transit), ou Transporte Rápido por Ônibus. Tudo com dinheiro do Orçamento Geral da União (OGU), e oriundos de financiamento público.

É o que aponta a Concorrência n.º 011/2015, da Central Permanente de Licitação de São Luís, ocorrida desde o dia 25 do mês passado, e que teve como vencedora a empresa Entel Engenharia e Tecnologia Ltda, que vai levar, segundo o edital, pouco mais de 1.7 milhão de reais somente pela elaboração de um Plano de Desapropriação e Remoção Involuntária (PDRI), referente à área de influência do Projeto Novo Anel Viário de São Luís – BRT Centro/Cohab.
O processo já está na mesa do titular da Semosp, Antônio Araújo, apenas aguardando a homologação. O prazo para a execução total dos serviços é de apenas cinco meses, a contar da data de recebimento da Ordem de Serviço.
De acordo com a proposta de Edivaldo Holanda Júnior, a obra já deve começar a executada ainda mês. Para a implantar o BRT Centro/Cohab, será necessário primeiro remover as famílias e imóveis situados dentro da faixa de domínio do projeto, seja de forma parcial ou total, por meio de um requerimento imperativo para a implantação das obras de infraestrutura viária pretendida – o mesmo lenga-lenga utilizado por Castelo na implantação do VLT.
Quem lê no edital o “Contexto para Implantação do BRT” em São Luís, por exemplo, tem a impressão de que está revivendo o mesmo projeto eleitoreiro concebido pelo tucano entre 2011 e 2012, quando viu sua popularidade despencar meteoricamente por começar a trabalhar pela capital – ou pelo menos passar a impressão de trabalho – somente na véspera de ano eleitoral.
“A concepção do sistema BRT prevê a implantação de corredor exclusivo inteligente para ônibus utilizando tecnologia veicular moderna, com design arrojado, dotados de refrigeração, piso na altura da plataforma das estações de embarque/desembarque de passageiros. Prevê, ainda, a integração e otimização das redes de transporte coletivo, intensificando a utilização da bilhetagem eletrônica e a constituição de um arranjo institucional, para a plena gestão e o desenvolvimento do projeto”.
Tudo muito lindo e arrojado, só que no papel.

Nenhum comentário:

Postar um comentário