Banner B

quarta-feira, 28 de janeiro de 2015

Confirmado: Yousseff pagou propina a cúpula do governo Roseana Sarney


Em matéria publicada nesta terça-feira (27), o Jornal Folha de São Paulo afirma que o doleiro Alberto Yousseff confirmou o  pagamento de propina à cúpula do governo Roseana Sarney, para facilitar pagamentos de precatórios devidos à construtora Constran, uma das investigadas na operação Lava a Jato da Polícia Federal.

As informações sobre o pagamento de propina à Roseana Sarney e a cúpula de seu governo vinham sendo tratadas como expeculação e negadas pela ex-governadora. Agora, veio a confirmação de que Alberto Yousseff de fato entregou à justiça as provas que evidenciam o envolvimento do governo Roseana no esquema de propinas da Constran.

Segundo Yousseff, a entrega do dinheiro à Roseana Sarney ocorreu pouco antes da prisão do doleiro, em maio de 2014. Ele foi detido pela PF nas dependências do Hotel Luzeiros, no Calhau, quando trocava malas com um servidor da Casa Civil do governo do Maranhão.

Leia a matéria do Jornal Folha de São Paulo na íntegra:

O doleiro Alberto Youssef afirmou em delação à Polícia Federal que efetuou pagamento de propina a um integrante do alto escalão do governo Roseana Sarney no Maranhão em nome da UTC no dia de sua prisão. Ele foi preso em março, em um hotel de São Luís (MA), durante as investigações da Operação Lava Jato.

Segundo Youssef, a entrega do dinheiro ocorreu momentos antes da prisão. Ao perceber que seria preso –após retornar uma ligação que descobriu ser de policiais federais do Paraná–, ele diz ter levado R$ 1,4 milhão ao quarto de João Abreu, a um emissário do então secretário da Casa Civil de Roseana Sarney. Depois disso, “retornou ao quarto e ficou esperando a polícia chegar”, de acordo com relato à Polícia Federal.

Além do dinheiro, ele também levou uma caixa de vinhos como presente ao então secretário. O juiz federal Sergio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato, autorizou o compartilhamento do depoimento de Youssef e outras provas sobre o precatório com o atual governo do Maranhão, do governador Flávio Dino (PCdoB)


Nenhum comentário:

Postar um comentário