WB-Combate-Mosquito-960x90px

sexta-feira, 23 de janeiro de 2015

Juiz condenado recebe salário sem trabalhar e se alia ao grupo Sarney

O ex-juiz Jorge Moreno, condenado desde 2009 por fazer uso político do cargo, recebe salário – pago

com dinheiro público, diga-se de passagem – sem trabalhar. Raivoso, Moreno gasta o tempo criando picuinhas e promovendo debates infrutíferos no seu perfil do Facebook.

Ingrato e, aparentemente, associado aos blogueiros da família Sarney, o juiz condenado escolheu o deputado estadual Bira do Pindaré (PSB), que sempre o defendeu dentro e fora da tribuna da Assembleia Legislativa do Maranhão, para atacar o governo Flávio Dino (PCdoB) e a inteligência do povo maranhense.

Em postagem debochada na noite desta quinta-feira (22), Jorge afirma não ter encontrado a nomeação do socialista como secretário de Ciência, Tecnologia e Inovação, embora ele emita opinião sobre a posta.

De fato, Bira continua ocupando o cargo de deputado estadual na Alema, mas, de recesso do mandato, tem acompanhado as atividades da Sectec para fazer a transição. Uma postura coerente e esperada de qualquer cidadão responsável que assumirá qualquer cargo público.

Cabe lembrar que Bira do Pindaré, Zé Reinaldo Tavares (PSB) e Julião Amim (PDT) foram designados pelo governador para secretarias estaduais, mas foram também eleitos deputados estadual e federais. Por decisão deles, tomarão posse nos cargos de secretários somente após a posse nos respectivos mandatos.

O ex-juiz, escreve o texto em formato de denúncia e se dirige ao secretário estadual de segurança, Jefferson Portela, pedindo a prisão do parlamentar. “Na lógica de quem comete crime, bandido é sempre o outro!”, disparou o ex-juiz.

Resta saber se Jorge Moreno estava fazendo uma autocritica:





 Com informações do blog  Marrapá 

Nenhum comentário:

Postar um comentário