quinta-feira, 20 de julho de 2017

Ministério Público denuncia médico por negligência em parto


O Ministério Público do Maranhão ofereceu denúncia por suposto erro médico em virtude da  negligência do médico Edison Amaral Tubimbá no parto de uma gestante que cuminou no falecimento da criança.
A situação é grave, uma vez que a empresa responsável pelo gerenciamento do hospital e maternidade de São José de Ribamar , Vitalle, fez pouco caso da consequência do fato , e mais grave quanto , é o fato da quarteirização do serviço, que deve ser urgentemente fiscalizado também pelo MP e pela gestão da prefeitura, onde esta última, é a detentora principal dos serviços prestados neste local.
Em contato com a família, o blog Jamys Gualhardo , apurou que , o médico em questão , não teria dado à devida atenção, nem cuidados indispensáveis com a paciente, onde desde a entrada na maternidade não apresentava nenhuma possibilidade de realização de “parto normal”, e mesmo assim , o médico insistia na não realização do mesmo, isso por conta do menor custo à empresa .
Com a decisão do ministério público, a prefeitura deve tomar alguma providência, para resguardar possíveis futuros óbitos neonatais, segundo o secretário de saúde do município, o Sr Tiago Fernandes  , afirmou que o médico foi afastado desde a situação, sobre a quarteirização, o secretário disse que , o poder público não tem responsabilidade alguma sobre a situação, e que haverá novo processo licitatório em breve, ou seja, a contratação de uma nova empresa para administração do  hospital.
Porém a detentora principal dos serviços é a prefeitura, que deve de imediato , ser responsável pela suposta negligência adota pelo médico no caso em questão, e que a gestante não tem qualquer responsabilidade sobre a possível problemática entre o poder público e as empresas gestoras do serviço.
A família ainda relatou que a indenização em questão, jamais suprirar a frustração do sonho que irão conviver pro resto da vida, e ainda afirmaram ao titular do blog, que querem justiça para que não aconteça novamente o que houve com elas no dia 15 de fevereiro de 2017, data que poderia ser marcada pela felicidade por resto da vida , mas será de plena tristeza, pelo sonho abruptamente interrompido. (Blog do Jamys Gualhardo)
Veja a decisão na íntegra :




Nenhum comentário:

Postar um comentário