Banner B

domingo, 1 de maio de 2016

Raposa 2016: “A Raposa é um diamante bruto, que precisa ser lapidado”, diz radialista Udes Filho


O Blog do Robert Lobato conversou com o diretor do jornal e portal O 4º PODER, Udes Filho, rebento do saudoso jornalista Udes Cruz, fundador do jornal Atos e Fatos, que foi secretário de Comunicação no governo José Reinaldo Tavares.

Udes Filho reside na cidade de Raposa, onde apresenta um programa de rádio que leva o seu nome [Programa do Udes Filho], um dos mais populares e líder de audiência na cidade, cujo foco principal e defesa dos interesses da população local.

O radialista e blogueiro falou sobre a conjuntura política do município da Raposa, as chances de pré-candidata a prefeita  Ocileia Fernandes e também sobre seu projeto de se tornar vereador desta que uma cidade que, embora vizinha da capital, não consegue se firmar como município de fato parecendo mais um grande bairro da periferia de São Luis.

Confira o bate-papo entre Robert Lobato e  Udes Filho:

Meu caro Udes Filho, a Raposa é um município com algumas potencialidades econômicas como a pesca, turismo e artesanato. Mas a cidade não tem dado sorte com seus gestores. Como você avalia esse, digamos “azar” da Raposa?

Infelizmente tenho que concordar que os gestores da Raposa ainda não tiveram a devida compreensão das potencialidade do município. Costumo dizer que a Raposa é um enorme diamante bruto, que precisa ser lapidado. Robert, para que você tenha uma ideia, na Raposa, temos a melhor da culinária, em se tratando de frutos do mar, somos o pólo gastronômico da região metropolitana. Temos restaurantes de referencia como O Capote, A Fazendinha, Natureza, Aventura Rural, Toca do Vale e o mais novo, o Tia Tereza. Temos na praia de Carimã, dunas tão lindas quanto os lençóis maranhenses. Se compararmos Raposa, com São José de Ribamar, temos na Raposa muito mais atrações para os turistas, mas não temos os mesmos investimentos, nem a mesma organização que São José de Ribamar dispõe. São José de Ribamar está de parabéns, explora bem o potencial turístico que tem.

Robert, a comunidade Combique, na Raposa, para quem não sabe, é o cinturão verde da região metropolitana. O Combique é responsável pela maior parte da produção de folhagem distribuída em São Luís e em parte do Maranhão. Alface, cheiro-verde, cebolinha e outros. Vejo a Raposa como a única cidade da região metropolitana com condições técnicas de se tornar uma cidade modelo. A cultura da Raposa é rica, temos bons artesãos e rendeiras de grande potencial. A Raposa ainda é uma potência pesqueira, mas, infelizmente, boa parte da produção do pescado é vendida em outros municípios, o que deixa a cidade sem a circulação de muito dinheiro vivo. Tudo isso por falta de uma política séria e focada em fomentar a economia local. A Raposa é um diamante bruto cercado de potencial em vários setores da economia. 

Falta aparecer administradores com visão e interesses que não sejam os próprios. A cidade tem problemas como falta de geração de empregos, falta de infraestrutura, um sistema de saúde pública defasado, enfim, problemas administrativos, que podem ser solucionados, mas tudo depende de uma gestão focada e de vereadores de fato interessados. Quem mora na Raposa entende muito bem cada palavra que eu disse. Temos tudo na Raposa, mas ao mesmo tempo não temos nada. É lamentável!

Tive conhecimento que o seu nome vem aparecendo desde o ano passado em pesquisas espontâneas para vereador e, em alguns casos, já pontuou, espontaneamente, até para o cargo de prefeito. Você já tinha conhecimento destes fatos e qual a sua opinião a respeito?

Veja bem! Meu amigo Robert Lobato, nunca tive acesso às tais pesquisas, mas alguns amigos, a exemplo do jornalista Isaias Rocha, já haviam comentado algo neste sentido. Agora, se você quer a minha opinião, se meu nome pontua assim, espontaneamente, nessas pesquisas, deve ser resultado do que eu chamo de jornalismo comunitário, que nada mais é do que o trabalho que desenvolvo, há vários anos, em defesa da população de Raposa, usando blog, jornal impresso e meu programa de rádio. Além de dar voz ao povo, vou além, eu mesmo procuro as autoridades e faço as cobranças em nome da população que me procura. Às vezes tenho êxito, outras não. Quando tenho êxito, o povo ganha e reconhece nossa luta. Já perdi as contas de quantos problemas foram resolvidos através do “Programa do Udes Filho”, como falta de água, falta de iluminação, coleta de lixo em ruas, muitos problemas assim foram solucionados na Raposa, após nossas cobranças. Eu acredito, Robert, que o povo gosta de quem toma as dores e parte em defesa do direito da coletividade. Talvez seja essa a razão de meu nome aparecer nessas tais pesquisas.

Você, como comunicador e liderança popular faz um trabalho na Raposa que muitos vereadores eleitos não fazem. Na sua opinião, por que a Câmara de Raposa é avaliada tão negativamente pela população?

Robert, não tenho qualquer receio de criticar a representação popular da Raposa na Câmara Municipal que, resguardas as devidas exceções, deixa muito a desejar. Vejo que o povo da Raposa, na verdade, o povo brasileiro, generalizando a situação, deveria fiscalizar e cobrar mais dos vereadores de suas cidades, ficar em cima, pressionar mesmo. Uma coisa que aprendi nesta vida, é que quem tem cargo eletivo, tem medo da revolta do povo. Na verdade, não só na Raposa, mas, em qualquer cidade, a minha opinião é que os eleitores marquem colado, junto dos vereadores. Tem que acompanhar mesmo, tem que cobrar mesmo e se os vereadores fizerem corpo mole, ai, o povo, os eleitores, devem protestar. Talvez falte uma cobrança mais forte do povo da Raposa em cima dos vereadores eleitos. Algumas pessoas ainda chamam seus representantes de patrões, como se o vereador, o prefeito, o governador, ou mesmo, a presidente da República, fossem nossos patrões. Mas não são! Eles são representantes do povo, eles têm autoridade porque, nós, eleitores, o povo, demos a eles. Logo, eles são empregados do povo e devem satisfações aos seus empregadores, os eleitores, os que votaram e os que não votaram. É assim que eu vejo, é assim que eu penso.

Vamos direto ao assunto: Há comentários, em São Luís, de que você pode ser o vice-prefeito na chapa da pré-candidata do PRB a prefeita de Raposa, Ocileia Fernandes. Isso é verdade?

Não, não tenho intenção alguma de concorrer como vice-prefeito. Meu nome, de fato, foi sondado, mas é uma questão minha, é uma opção minha. Vice é um cargo que não combina comigo. Sou daqueles que gosta da adrenalina, que curte a disputa. Vou até brincar aqui: Vice não disputa nada, vive esperando o titular morrer, ou tentando dar um golpe para chegar ao cargo. Não tenho vocação para agourento e muito menos para golpista. (risos). Definitivamente, vice não dá!

Então o projeto do Udes Filho é ser vereador pela Raposa? Por que você acha que erece o voto de confiança do povo para representa-lo na Câmara Municipal?

Exatamente, Robert. Meu projeto que, aliás, não é mais só meu, é sim de disputar uma cadeira na Câmara Municipal da Raposa. Sou pré-candidato a vereador pelo PRB. Nosso partido vem se organizando e está com tudo definido para disputar o comando prefeitura do município. Como você antecipou, nossa pré-candidata a prefeita é a presidente do partido na Raposa, Ocileia Fernandes. Quanto ao voto de confiança do povo da Raposa a mim, penso que ele, o povo, é quem vai julgar a minhas ações em prol da cidadania da cidade, principalmente daqueles que mais precisam de apoio do poder público e geralmente não encontra esse apoio devidamente. Sem qualquer falsa modéstia entendo que o povo vai saber reconhecer nosso trabalho e nos dará esse voto de confiança. E o que é melhor: não se arrependerá.


Você é conhecido pela maneira imparcial com a qual trabalha o jornalismo, tanto no jornal O 4º PODER, como no seu blog e na rádio da Raposa. Então, de maneira imparcial, sendo um dos grandes observadores dos bastidores da política raposense, me responda qual a real situação do cenário para a disputa majoritária em Raposa?



Nenhum comentário:

Postar um comentário